Um efebo desnudo, sem pêlo, branco, um rosto em que há dor – mas também prazer, dizem alguns. Um integrante da cúpula da Igreja Católica poderia dizer a você parar de ter “idéias” porque a descrição é de um santo, São Sebastião.

O santo foi retratado de maneira erótica em diversas pinturas, inúmeros artistas gays já fizeram suas versões de São Sebastião. Considerado um dos ícones da cultura gay. Queira o Vaticano ou não!

À primeira vista, podemos achar que santos cristãos não têm nada a ver com a cultura gay. Entretanto, São Sebastião desafia essa ideia, retratado em belos quadros como um jovem bonito com seu corpo atravessado por flechas. Mas o que esse santo, padroeiro dos soldados que foi morto por converter romanos ao cristianismo, tem a ver com a temática LGBT?

Santo Fashion
Posse de homem em frente ao vidral

Mártir da causa gay

Diferente do que as pinturas mostram, São Sebastião não foi morto por flechas. Ele foi resgatado por Santa Irene e espancado até a morte a mando do imperador Diocleciano, que jogou seu corpo ferido nos esgotos de Roma. A imagem de seu corpo seminu perfurado por flechas e aguardando o martírio foi estabelecida pelos pintores do Renascimento.

A propagação dessa imagem despertou a imaginação de vários artistas, fazendo de São Sebastião o santo masculino mais retratado na história da arte. Segundo o pesquisador da Universidade de Princeton Richard A. Kaye, seu corpo lânguido e erótico fazia com que os homens vissem nele “uma propaganda impressionante do desejo homossexual”.

“A Coleção Atos dos Santos, da Igreja Católica, indica um vínculo emocional entre Sebastião e seus oficiais comandantes, observando que ele foi muito amado pelos imperadores Diocleciano e Maximiano”, afirmou Kaye na obra “Perdendo Sua Religião: São Sebastião como Mártir Gay Contemporâneo”.

Mas por que apenas São Sebastião ganhou esse status, ao invés de outros santos retratados como mártires? Para a romancista Susan Sontag, graduada na Universidade de Harvard, seu rosto não registrava dor física, e a beleza do santo está divorciada de seu sofrimento. Essa postura imponente diante da dor seria uma referência à comunidade LGBT de hoje em dia.

Santo Católico
São Sebastião
Arte de Gutyerrez
Santo Ursinho

PUBLICIDADE